A má alimentação é uma das causas do estresse

Sabe-se que a mudança do estilo de vida e o sedentarismo vem causando o aumento de indivíduos obesos e, como conseqüência, o aparecimento de doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes, câncer e também osteoporose.

O estresse que muitos sofrem pode ser causado (ou exacerbado) por uma má alimentação. O indivíduo mau nutrido não consegue desempenhar as suas atividades de rotina com a devida eficiência, o que leva a cansaço e irritação.

Em vista deste quadro, cientistas estão cada vez mais desenvolvendo estudos nesta área, resultando no aparecimento de medicamentos e dietas em busca de soluções.

A alimentação é uma necessidade vital. Uma vez que se observe certas recomendações, ela atuará como fator preventivo e promotor de saúde.

Ao preferir uma refeição balanceada com vitaminas, sais minerais, proteínas, hidrato de carbono, gorduras e fibras, você estará criando condições para um melhor desempenho físico. Aderir portanto a princípios de vida mais saudáveis, torna-se fundamental para quem acredita que “prevenir é melhor que remediar”.

Com isso alguns conselhos podem ser tomados como regra no dia a dia. São eles:

- Manter o peso, com dietas de calorias adequadas e exercícios;

- Diminuir alimentos que são componentes efetivos na obesidade como: açúcar e gorduras;

- Ter apenas três refeições por dia, com intervalo mínimo de 5 horas entre elas;

- Mastigar bem os alimentos;

- Não usar mais que 3 ou 4 variedades de alimentos em cada refeição;

- Não manter todo o dia o mesmo tipo de alimento, mas variar a qualidade de um dia para o outro ou de uma refeição para outra;

- Não comer ou comer bem pouco quando não se tem tempo ou está nervoso e irritado;

- Não deitar após as refeições;

- Não tomar muito líquido após as refeições.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • ma alimentaçao e estresse resumo