Capoeira   História e Curiosidades do Esporte (cultura popular brasileira)

capoeira

história da capoeira, curiosidades da capoeira

A capoeira é conhecida pela maioria das pessoas como uma arte marcial. Porém é mais do que isso, é patrimônio da cultura de nosso país, faz parte de nossa história.

Foi desenvolvida por escravos africanos trazidos para o Brasil. Caracteriza-se por uma mistura de lutas, danças e músicas. É praticada através de movimentos rápidos e golpes com o uso de mãos e pés principalmente, mas também joelhos, cotovelos, cabeça e uso de bastões.

A palavra capoeira refere-se às áreas de mata rasteira do interior do Brasil. A origem do nome vem da palavra tupi-guarani ‘capuera’ que significa ‘Mata destruida pela mão de homem e renascida’.

História:

O Brasil foi o maior receptor de escravos africanos, com 42% de todos os escravos enviados através do Oceano Atlântico (triste recorde).

A capoeira foi desenvolvida pelos escravos do Brasil como forma de elevar o seu moral, transmitir a sua cultura e, principalmente, como forma de resistir à precária situação em que viviam.

Relata-se que Zumbi dos Palmares e seus quilombolas comandados, só conseguiram defender o Quilombo dos Palmares dos ataques das tropas coloniais, porque eram exímios capoeiristas, mesmo possuindo material bélico muito aquém dos utilizados pelas tropas coloniais e geralmente combatendo em menor número, resistiram a pelo menos vinte e quatro ataques de grupos com até três mil integrantes.

Há registros da prática da capoeira nos séculos XVIII e XIX nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro, e Recife, porém durante anos a capoeira foi considerada subversiva, sua prática era proibida e reprimida.

Foi o lendário Mestre Bimba que fundou em 1932 a primeira academia de capoeira do Brasil, localizada em Salvador. Ele acrescentou movimentos de artes marciais e desenvolveu um treinamento sistemático para a capoeira, estilo que passou a ser conhecido como ‘Regional’.

De outro lado, Mestre Pastinha pregava a tradição da capoeira com um jogo matreiro, de disfarce e ludibriação, estilo que passou a ser conhecido como ‘Angola’.

A luta dos berimbaus:

A música é foi introduzida na capoeira como forma enganar os escravizadores, para que acreditassem que os escravos estavam dançando e cantando, quando na verdade também estavam treinando golpes para se defenderem.

Determina o ritmo e o estilo do jogo durante a roda de capoeira. Muitas canções são na forma de pequenas estrofes intercaladas por um refrão, enquanto outras vêm na forma de longas narrativas.

As canções de capoeira têm assuntos dos mais variados. Algumas canções são sobre histórias de capoeiristas famosos, outras podem falar do cotidiano de uma pessoa simples. Algumas canções são sobre o que está acontecendo na roda de capoeira, outras sobre a vida ou um amor perdido, e outras ainda são alegres e falam de coisas tolas, cantadas apenas para se divertir.

O principal instrumento é o berimbau, que é feito de um bastão de madeira envergado por um cabo de aço em forma de arco e uma cabaça usada como caixa de reverberação. Os outros instrumentos são: pandeiro, atabaque, caxixi e com menos freqüência o ganzá e o agogô.

Roda de capoeira:

A roda de capoeira é um círculo de pessoas em que é jogada a capoeira. Os capoeiristas se perfilam na roda de capoeira batendo palma no ritmo do berimbau e cantando a música enquanto dois capoeiristas jogam. O jogo entre dois capoeiristas pode terminar ao comando do capoeirista no berimbau ou quando algum capoeirista da roda entra entre os dois e inicia um novo jogo com um deles.

A ginga é o movimento básico da capoeira, é um movimento de pernas no ritmo do toque que lembra uma dança. Além da ginga são muito comuns os chutes em rotação, rasteiras, golpes com as mãos, cabeçadas, esquivas, saltos, mortais, giros apoiados nas mãos e na cabeça, movimentos acrobáticos e de grande elasticidade e movimentos próximos ao solo.

Oposição:

O Decreto Lei 487 dizia que: a partir de 11 de Outubro de 1890 todo capoeirista pego em flagrante seria desterrado para a Ilha de Fernando de Noronha por um período de dois a seis meses de prisão

Em 1824, os escravos que fossem pegos praticando capoeira recebiam trezentas chibatadas e eram enviados para a Ilha das Cobras para realizar trabalhos forçados durante três meses.

Curiosidades:

* Mestre Pastinha começou a treinar capoeira por intermédio de um africano que o viu apanhar de um rival em sua infância. Mesmo depois de perder a visão era temido por quem jogava com ele.

* Dos 50 golpes bem aplicados da capoeira que Mestre Bimba ensinou, 22 eram mortais.

* Segundo Mestre Noronha, o berimbau em seu tempo, era uma arma maligna e mortal. A verga (o pau do berimbau), era usado como porrete e a varinha servia para furar os olhos do adversário que tivesse má conduta. Isso foi durante a época em que a capoeira era proibida.

* No final do século XVIII, no Rio de Janeiro, as aventuras dos capoeiras eram de tal jeito que o governo, através da portaria de 31 de outubro de 1821, estabeleceu castigos corporais e outras medidas de repressão à pratica de capoeira.

* Na Bahia, os capoeiristas se distinguiam dos demais negros porque usavam uma argolinha de ouro na orelha, como insígnia de força e valentia, e o nunca esquecido chapéu à banda.

* Os capoeiristas eram contratados pelos políticos para bagunçar no dia das eleições. Enquanto as pessoas desviavam a atenção para a confusão dos capoeiras um indivíduo colocava um maço de votos na urna. Vencia as eleições o candidato que dispunha de maior número de capoeiras.

* Milhares de capoeiristas foram para a Guerra do Paraguai, pois havia sido prometida a liberdade no final do conflito àqueles que participassem da batalha.

* Antes do arame, a linha do berimbau era feito de tripas de animais.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • Curiosidades da capoeira
  • Curiosidades sobre a capoeira
  • capoeira
  • cultura popular brasileira
  • a curiosidade da copa e a historia