Cartografia: quais tipos de projeções são usadas?

A transferência de uma esfera para a área plana do mapa seria impossível se os cartógrafos não se usassem de uma técnica matemática chamada projeção.

Para ilustrar esta técnica podemos imaginar como seria se abríssemos uma esfera e achatássemo-la para a forma de um plano: partes da esfera original teriam que ser esticadas para podermos fazer isto, em especial as áreas mais próximas aos os pólos, criando grandes deformações de área em um mapa mundial, se comparássemos os países perto do equador com os mais perto do pólo.

Essas técnicas de projeções vêm desde os mapas da Grécia com Ptolomeu no séc. II, e foram evoluindo até que logo após a renascença o holandês Mercartor concebeu a mais simples técnica de projeção, a qual é dada seu nome. É a projeção de mapas do mundo mais conhecida até hoje.

Para a representação de países, entretanto, normalmente se usa a projeção bi cônica. Outras técnicas foram evoluindo até os dias de hoje, e muitas outras projeções tentaram desfazer as desigualdades de área perto dos pólos com as de perto do equador, entre elas a projeção de Gall, que permite se manter a familiaridade do mapa-múndi e ao mesmo tempo diminuir as distorções.

Projeção cilíndrica

A projeção cilíndrica consiste na projeção do globo sobre um cilindro imaginário de raio e eixo coincidentes com o raio e o eixo relacionados ao Equador. É o tipo de projeção mais comumente utilizado em mapas escolares. As áreas próximas ao Equador possuem suas formas mostradas com precisão, mas as porções mais próximas dos pólos são distorcidas inevitavelmente.

Esta é a melhor projeção para fins de navegação no mar, devido ao fornecimento do melhor resultado visando trabalho com o compasso, em leituras de navegação.

Projeção azimutal

A projeção azimutal consiste na projeção do globo sobre um plano imaginário cujo centro é trespassado pelo eixo da Terra em relação ao Equador. em outras palavras, o ponto de vista tomado acarreta na centralização de um dos pólos terrestres na área de projeção. Por exemplo, na projeção azimutal do Pólo Sul, a Antártida localiza-se no centro do mapa.

Este tipo de projeção mostra as áreas em suas reais proporções, mas esta técnica acarreta na deformação das verdadeiras formas dos continentes e países. Este tipo de projeção mostra ambos os hemisférios do planeta.

Projeção cônica

A projeção cônica consiste na projeção do globo em um cone imaginário, cujo eixo é coincidente com o eixo da Terra em relação ao equador. A partir daí realiza-se a projeção, que pode conter uma ou duas linhas de latitudes notáveis (Trópico de Capricórnio, Trópico de Câncer etc.). O mapa mostra a forma de áreas bastante limitadas com grande precisão, mas há distorção de dimensões de área para área.

Esta projeção é utilizada principalmente para a representação das regiões do mundo adjacentes às latitudes médias.

Projeção matemática

Este tipo de projeção busca a mínima distorção das formas e tamanhos dos oceanos e os continentes. Cada continente ou oceano está centrado em seu próprio meridiano. Para isto, o método utilizado baseia-se no corte imaginário do globo terrestre e seu desdobramento em quatro gomos.

Este método acarreta em interrupções (fragmentação) na projeção. No entanto, as proporcionalidades representadas são muito próximas das reais proporções continentais.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • que tipo de projecao e utilizado nos dois casos