Ginástica Artística (Olímpica)   História, Regras e Curiosidades do Esporte

ginasta na trave

história da ginástica artística, regras e dicas da ginástica olímpica

A ginástica artística tem se tornado um esporte popular no Brasil nos últimos anos, devido a bons resultados internacionais de nossos atletas. A modalidade também é conhecida como ginástica olímpica.

Por ginástica entende-se o conjunto de exercícios corporais sistematizados, realizados no solo ou com auxílio de aparelhos, aplicados com objetivos educativos, competitivos ou terapêuticos.

As apresentações da ginástica artística são individuais, mesmo quando a competição é por equipes, e possuem o tempo aproximado de 30 a 90 segundos de duração. Os movimentos dos atletas devem ser sempre elegantes, com demonstração de força, agilidade, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e controle do corpo.

História:

A ginástica artística teria surgido no Egito, onde as pessoas realizavam acrobacias circenses nas ruas com o intuito de entreter o povo. Como a prática constante desenvolvia habilidades corporais importantes, como a força e a elasticidade, ela passou a ser adaptada ao treinamento militar.

Na época do Renascimento, os principais artistas faziam culto ao corpo humano e às suas formas. Assim, a prática da ginástica nas escolas tornou-se constante.

Seu surgimento oficial só aconteceu em 1811, quando foi fundado em Berlim o primeiro clube voltado apenas à prática da ginástica. Foi criada regras específicas, aparelhos diferentes e um sistema de exercícios físicos chamado Turnkunst (em português: a arte gímnica) que ainda hoje é considerado matriz na ginástica artística praticada.

A Federação Internacional de Ginástica (FIG) foi fundada em 1891. Cinco anos depois, a modalidade seria incluída nos primeiros Jogos Olímpicos modernos, realizados em Atenas.

Características físicas necessárias a um ginasta:

Força, flexibilidade e coordenação motora são fundamentais para o sucesso de um ginasta. A genética é determinante para que uma pessoa apresente essas características e se destaque na modalidade escolhida.

A preparação de um atleta passa por três fases. A primeira, que dura até aproximadamente os dez anos de idade, é a de iniciação. Depois, começa a fase de treinamento intensivo, específico para a modalidade escolhida. A média da idade de início é aproximadamente doze anos. No terceiro momento, aos quinze em geral, começa o treinamento de alto nível, em que o atleta deve buscar maior autonomia e desenvolver ao máximo sua performance.

Treinamentos:

O treinamento físico do ginasta é realizado baseado em repetições para aumentar a força e a massa muscular do atleta. A repetição serve também para melhorar a concentração e automatizar os movimentos mais simples, fazendo o ginasta desprender mais tempo na meta de atingir a perfeição das rotinas técnicas.

Tomando-se como partida os treinamentos diários, de duração variável entre quatro e oito horas, que impedem a perda da flexibilidade e dos movimentos, os riscos de acidentes e medidas preventivas são uma constante. As maiores incidências recaem sobre as articulações e coluna. Curiosamente, apesar de ser um esporte de alto impacto, o risco de fraturas é baixa comparando-se a ginásticas com outros esportes como futebol.

A correta alimentação também é de enorme importância para ajudar o ginasta a manter seu corpo saudável, principalmente entre os que estejam em fase de desenvolvimento. Em virtude dos exercícios de alta intensidade, seu organismo necessita de uma boa oferta de carboidratos para manter os músculos aptos às atividades (minimizar a produção de ácido láctico pelos tecidos musculares).

Além disso, o atleta deve ter ainda uma boa variedade alimentar em sua dieta, contento o balanço adequado de proteínas, vitaminas e gorduras (que mantém o corpo abastecido para o exercício físico avançado).

A hidratação durante as práticas também é fundamental. Porém, não apenas feita com água, mas isotônicos para restaurar a energia perdida.

Movimentos da ginástica:

* Abertura: Ação muscular de extensão da articulação dos quadris.

* Avião: Posição de equilíbrio típica da trave, em que o ginasta mantém uma perna no chão e eleva a outra para trás. Exige força, flexibilidade e equilíbrio.

* Carpada: As pernas estendidas formam um ângulo com o tronco. É possível também ter uma posição carpada de pernas afastadas.

* Diamidov: Movimento típico das barras paralelas, o ginasta segura com uma mão uma das barras, e gira em torno do próprio corpo.

* Dos Santos (Duplo Twist Carpado): Dois giros em torno do corpo, seguido de dois mortais no ar com uma flexão no quadril levando as mãos à altura do joelho.

* Empunhaduras: São tomadas, pegadas ou presas, que representam várias maneiras do executante segurar o aparelho e manter-se nele.

* Estendida: O corpo deve estar em linha reta, sem nenhum ângulo

* Flic-Flac: Movimento preparatório para acrobacias. O ginasta levanta os braços esticados ao mesmo tempo em que seus pés deixam o solo, usando um grande impulso dos ombros. Pode ser executado para frente ou para trás.

* Giro de quadris para trás: O corpo executa um giro completo em torno do eixo transversal. Movimento típico das barras assimétricas.

* Giro gigante: Elemento específico das barras assimétricas. Uma rotatória em volta da barra de 360º, executada com braços estendidos e corpo na posição estendida.

* Grupada: Todas as partes do corpo se flexionam e se aproximam de ponto central do corpo. As pernas devem estar flexionadas e a testa deve tocar o joelho.

* Parada de mãos: Exercício mais básico da ginástica artística. O corpo deve permanecer na linha do pulso. Dedos afastados permitem melhor equilíbrio.

* Parafuso: Uma rotação em torno do próprio corpo para os lados, sem o uso das mãos no solo.

* Roda: É a estrela. Passar lateralmente em apoio invertido e retomada de pé.

* Rondada: Semelhante a Roda, com os dois pés chegando ao solo no mesmo instante. Usada pelos ginastas para acelerar uma “passada”.

* Rudi: Um parafuso e meio na posição estendida após o movimento para frente.

* Salto pak: Típico das barras assimétricas. É usado para passar da barra mais baixa para a mais alta. A ginasta faz um movimento semelhante com o flic-flac, pois o salto pak é também um movimento preparatório pontuado.

* Selada: Corpo forma um arco e as costas ficam “arqueadas” para trás.

* Tkachev: Movimento usado nas barras assimétricas e na barra fixa. O ginasta larga a barra, passa de costas por cima dela na posição carpada ou com pernas separadas, e em seguida, pega a barra novamente.

* Tsukahara: Salto mortal duplo com um parafuso completo no primeiro salto.

Aparelhos:

Os aparelhos masculinos são o solo, o salto sobre a mesa, o cavalo com alças, as barras paralelas, a barra fixa e as argolas. Tais aparelhos, durante as apresentações masculinas, procuram demonstrar a força e o domínio do ginasta.

Os aparelhos femininos são a trave, o solo, o salto sobre a mesa e as barras assimétricas. Tais aparelhos, durante as apresentações femininas, colocam maior ênfase na questão artística e de agilidade.

* Cavalo com alças: O cavalo possui as seguintes dimensões: 1,15m x 1,60m x 35cm. As alças possuem distância ajustável e a altura de 12cm. Uma série típica no cavalo com alças envolve tesouras e movimentos circulares.

* Argolas: O aparelho é constituído por uma estrutura onde prendem-se duas argolas a 2,75 metros do solo. A distância entre elas é de 50cm e o seu diâmetro interno é de 18cm. A prova consiste em uma série de exercícios de força, balanço e equilíbrio. O júri valoriza o controle do aparelho e a dificuldade dos elementos da coreografia. Quanto menos tremer a estrutura que suspende as argolas à haste, melhor será a pontuação de execução do ginasta.

* Barras paralelas: O aparelho possui as medidas de 1,95 x 3,5m, além da estarem distanciadas entre 42 e 52cm. A prova consiste em exercícios de equilíbrio e força, onde o ginasta utiliza as duas barras obrigatoriamente, passando por todo o seu comprimento.

* Barra fixa: A barra é presa sobre uma estrutura de metal a 2,75m do solo e possui 2,40m de comprimento. A prova consiste em movimentos de força e equilíbrio. O ginasta deve fazer movimentos giratórios em uma rotina acrobática, que envolve os giros propriamente ditos, as largadas e retomadas, as piruetas e as pegadas.

* Barras assimétricas: Este aparelho é de uso estritamente feminino. Seu posicionamento é, a mais alta a 2,36m de altura e a menor a 1,57m. A prova é composta por uma série de movimentos obrigatórios, bem como os demais aparelhos. A posição das duas barras em diferentes alturas possibilita à ginasta uma gama variada de movimentos, mudanças de empunhaduras e alternância entre as barras.

* Trave: Popularmente chamada de trave, a trave de equilíbrio é um dos dois aparelhos de práticas unicamente femininas. A trave em si é uma barra revestida com material aderente, situada a 1,25 metros do chão, com cinco metros de comprimento e dez centímetros de largura, onde a atleta deve equilibrar-se e realizar saltos e giros.

* Solo: Este aparelho é um estrado de 12 x 12 metros feito de um material elástico que amortece eventuais quedas e ajuda ao impulso dos saltos. Como modalidade, os exercícios têm uma duração de 50 a 70 segundos para os homens, e 70 a 90 segundos para as mulheres. Durante a prova, são realizados movimentos acrobáticos e ginásticos anteriormente pontuados (antes da prova o atleta define qual será o seu nível de dificuldade). Os exercícios femininos são acompanhados por música.

* Salto: O salto sobre a mesa é a prova mais rápida da ginástica artística, incluindo apenas o momento dos dois saltos aos quais o ginasta tem direito. A prova é composta por uma pista de 25 metros, que termina em um trampolim de impulso e finalmente na mesa (120 x 95cm).

Violações no esporte:

A Federação Internacional possui diversas regras para questões de doping e falsificação etária. Tais regras possuem graus de punição mediana à severa, variando caso a caso, reincidente ou não. Porém, sempre aplicadas visando o melhor para o esporte e seus praticantes.

O doping na ginástica ocorre do mesmo modo como nos demais esportes. Há contudo, uma diferença da ginástica para o atletismo, por exemplo: a joviedade de seus praticantes. Os ginastas estão na adolescência e no inicial momento posterior a ela, e por isso, no auge de sua forma física. Tal fato, reduz o número da ingestão proposital de anabolizantes e derivados.

Competições mais importantes:

* Jogos Olímpicos: de quatro em quatro anos, reúne os ginastas classificados para os eventos. Aquela nação que não conseguir qualificar uma equipe, está apta a enviar um ou dois competidores para representá-la.

* Campeonato Mundial: desde de 1999 sua realização é anual.

* Copa do Mundo: torneio realizado por temporada. É dividido em etapas que acontecem durante o ano. Sua final reúne os ginastas classificados durante as etapas anteriores.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • Regras da ginastica olimpica
  • ginastica olimpica
  • historia da ginastica artistica
  • ginastica artistica historia
  • regras da ginastica artistica