Monteiro Lobato: biografia do escritor de histórias infantis (vida e obras, livros)

Monteiro Lobato

biografia do escritor Monteiro Lobato, livros e vida de Monteiro Lobato

O escritor Monteiro Lobato é um dos maiores nomes da literatura brasileira. Grande parte de suas obras era para o público infantil, como o Sítio do Pica Pau Amarelo.

Nascimento e estudos:

Nasceu na cidade de Taubaté, no estado de São Paulo, em 1882. Era de uma tradicional família de fazendeiros, e morou na fazenda da família até terminar o colegial.

Começou a escrever ainda criança para jornais das escolas que freqüentou em Taubaté. Desde muito cedo, Lobato sempre adorou desenhar e escrever. Pensou em cursar Belas Artes, mas foi desencorajado pela família.

Em 1904 formou-se em Direito o na Faculdade de Direito de São Paulo do Largo São Francisco, em São Paulo. Durante a graduação venceu um concurso literário da própria faculdade e começou a colaborar com as publicações dos alunos. Participou de vários jornais da faculdade.

Morou numa republica estudantil, na qual fundou com um grupo de amigos o grupo literário ‘O Cenáculo’, o qual escrevia artigos para um jornal de Pindamonhangaba.

O profissional:

Em 1906 foi nomeado promotor público interino em Taubaté. Em 1907 foi nomeado promotor numa pequena cidade na divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro, chamada Areias.

Em 1908 Lobato casou-se com sua noiva Maria Pureza Natividade.

Nesse mesmo período, Lobato traduziu artigos para o jornal ‘O Estado de São Paulo’, escreveu para ‘A Tribuna’ de Santos, além de fazer caricaturas para a ‘Revista Fon-Fon’ do Rio de Janeiro.

Em 1911, aos 29 anos herdou do seu avô, o Visconde de Tremembé, uma fazenda e resolveu administrá-la. Não obteve muito êxito.

Nessa época, escreveu um artigo para o jornal O Estado de São Paulo intitulado ‘Uma Velha Praga’, uma crítica contra as constantes queimadas no campo. Tal artigo, provocou grande polêmica, e rendeu a Lobato o convite para escrever outros artigos. Assim, tornou-se critico respeitado e colunista do jornal. Foi nesse período que ele criou o personagem Jeca Tatu.

Pouco depois, Lobato vendeu a fazenda e passou a residir definitivamente em São Paulo.

O escritor e editor:

Em 1918, um ano após sua mudança para São Paulo publicou o livro Urupês, uma coletânea de contos. No mesmo ano, Lobato comprou a Revista do Brasil, que posteriormente deu origem à Editora Monteiro Lobato & Cia., que revolucionou o mercado editorial brasileiro e publicou obras de grandes escritores nacionais.

Revolucionou o mercado de livros com relação a distribuição dos mesmos, pois vendia seus livros de porta em porta, em mercearias, pelo correio, em todo o país. Foi um dos primeiros editores a colorir capas de livros, além de ilustrá-los.

Teve o personagem Jeca Tatu, do seu livro Urupês, usado na campanha presidencial de Rui Barbosa, o que rendeu ao seu livro maior sucesso ainda.

Sua editora foi a maior do Brasil. Porém, depois dos longos cortes de energia em São Paulo, o que impossibilitava o funcionamento da gráfica, problemas com bancos e a suspensão das compras do governo, determinadas pelo então presidente Arthur Bernardes, a gráfica não conseguiu superar a crise e acabou falindo.

No ano de 1920 publicou ‘A menina do Narizinho Arrebitado’, ele então aos 38 anos iniciava a literatura infantil brasileira. Em 1921 uma coleção de fábulas de Lobato foram adotadas pelo Governo do Estado de São Paulo para uso didático.

No ano de 1925 fundou a Editora Nacional, onde traduziu diversos livros estrangeiros e editou várias obras nacionais.

Em 1927, Lobato mudou-se com a família para Nova York, onde exerceu o cargo de adido comercial nomeado pelo presidente da república do Brasil.

Em 1931, Lobato deixou o posto de adido comercial e retornou ao Brasil encantado com a experiência e convicto da necessidade de exploração de recursos minerais a fim de contribuir para o desenvolvimento do país.

Empenhou-se na campanha em prol dos nossos recursos, fundando o Sindicato do Ferro e a Cia. de Petróleo Nacional.

Teve grande importância na política do Brasil, uma vez que lutou pelo que acreditava e contra a opressão do regime político da época.

Lobato foi um homem de visão, enxergava os problemas vividos pela sociedade e tinha muitas idéias e vontade em solucioná-los.

Em 1945 foi morar na Argentina, pois o regime político brasileiro da época por vezes o perseguira. Lá ele fundou uma editora, além de escrever para jornais. Um ano depois retornou ao Brasil.

Morreu no dia 4 de julho de 1948 vítima de um derrame cerebral. Foi sepultado no cemitério da Consolação em São Paulo.

Personagens:

Seus personagens são de uma grandeza espetacular ao mesmo tempo de uma simplicidade que nos fazem ter a sensação de que são pessoas do nosso convívio.

Não dá para passar pela infância sem conhecer as obras de Monteiro Lobato. Sem conhecer a Narizinho, o Pedrinho, Tia Nastácia, Dona Benta, Visconde, a incrível boneca Emília, entre outros (eu morria de medo da Cuca, é sério!!!).

Sonhem com os bolinhos da Tia Nastácia, com um lugar encantado onde tudo pode acontecer que é o Sítio do Picapau Amarelo, com viagens fantásticas, com o Reino das Águas Claras, Saci, pó de pirlimpimpim, enfim o universo criado por Lobato é a tradução da mais pura infância.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • biografia do escritor monteiro lobato
  • biografia de um escritor infantil
  • escritor infantil monteiro lobato
  • monteiro lobato foi um grande escritor de estorias imfantil
  • vida e obras do escritor monteiro lobato