O que é a Disfemia? A disfunção das pessoas gagas

A disfemia, conhecida popularmente como gagueira  é um distúrbio da linguagem em que o indivíduo repete sílabas ou faz longas pausas ao pronunciar palavras. Também usam-se os termos disfemismo ou disfluência.

Além de gago o indivíduo que apresenta disfemia recebe o nome de tartamudo, balbo (de balbuciar) ou tardíloquo.

Cerca de 75% das crianças entre dois e quatro anos de idade apresenta episódios de disfemia, sendo geralmente episódios transitórios que duram poucos meses, ocorrendo em conseqüência de uma combinação de vários fatores durante o desenvolvimento da fala. Um destes fatores é a presença de um raciocino mental muito mais veloz do que a capacidade de articular palavras e organizar frases nesta idade.

O rápido fluxo de pensamentos, geralmente associado à ansiedade para contar rapidamente algo importante ou que impressionou muito, também contribui para que a criança apresente alguma dificuldade para produzir um ritmo regular e suave em sua fala. Esta disfluência pode aumentar quando a criança está ansiosa, cansada ou doente e quando está tentando dominar muitas palavras novas.

Normalmente, este distúrbio é transitório, apenas uma minoria das crianças que apresentam disfemia em tenra idade, cerca de 1% ou 2%, necessitará de tratamento especializado. Estes poucos casos que persistem por mais tempo do que o habitual podem estar associados a uma história familiar de gagueira, sugerindo uma predisposição hereditária.

Uma característica que pode estar relacionada com a tendência da gagueira tornar-se um problema persistente é a percepção pela criança da dificuldade para articular as palavras, gerando sinais de ansiedade como fazer caretas, ou bater o pé. Nestes casos, onde a criança tem consciência do problema e percebe que sua fala está sendo julgada como fora do padrão normal, ela pode ter sua auto-estima prejudicada.

A disfemia que persiste após os cinco anos de idade está associada a outros distúrbios da linguagem e necessita de avaliação e tratamento. O fonoaudiólogo é o clínico especialista no tratamento de pessoas com gagueira.

O dia 22 de outubro foi instituído como o Dia Internacional de Atenção à Gagueira.

A disfemia, conhecida popularmente como gagueira ou gaguez é um distúrbio da linguagem em que o indivíduo repete sílabas ou faz longas pausas ao pronunciar palavras. Também usam-se os termos disfemismo ou disfluência; além de gago o indivíduo que apresenta disfemia recebe o nome de tartamudo, balbo (de balbuciar) ou tardíloquo.

Cerca de 75% das crianças entre dois e quatro anos de idade apresenta episódios de disfemia, sendo geralmente episódios transitórios que duram poucos meses, ocorrendo em conseqüência de uma combinação de vários fatores durante o desenvolvimento da fala. Um destes fatores é a presença de um raciocino mental muito mais veloz do que a capacidade de articular palavras e organizar frases nesta idade.O rápido fluxo de pensamentos, geralmente associado à ansiedade para contar rapidamente algo importante ou que impressionou muito, também contribui para que a criança apresente alguma dificuldade para produzir um ritmo regular e suave em sua fala. Esta disfluência pode aumentar quando a criança está ansiosa, cansada ou doente e quando está tentando dominar muitas palavras novas.

Normalmente, este distúrbio é transitório, apenas uma minoria das crianças que apresentam disfemia em tenra idade, cerca de 1% ou 2%, necessitará de tratamento especializado. Estes poucos casos que persistem por mais tempo do que o habitual podem estar associados a uma história familiar de gagueira, sugerindo uma predisposição hereditária. Uma característica que pode estar relacionada com a tendência da gagueira tornar-se um problema persistente é a percepção pela criança da dificuldade para articular as palavras, gerando sinais de ansiedade como fazer caretas, ou bater o pé. Nestes casos, onde a criança tem consciência do problema e percebe que sua fala está sendo julgada como fora do padrão normal, ela pode ter sua auto-estima prejudicada.

A disfemia que persiste após os cinco anos de idade está associada a outros distúrbios da linguagem e necessita de avaliação e tratamento.[1]

O fonoaudiólogo é o clínico especialista no tratamento de pessoas com gagueira. O dia 22 de outubro foi instituído como o Dia Internacional de Atenção à Gagueira.