Paleontologia: onde podemos encontrar fósseis no Brasil?O Brasil pode ser considerado um país de razoável patrimônio fóssil, levando-se em conta que apresenta grandes bacias sedimentares, algumas com grande espessura, e apresenta espécies significativas para a Paleontologia.

Como exemplo, temos um dos primeiros dinossauros a surgirem, o Staurikosaurus pricei, descoberto nas vizinhanças da cidade de Santa Maria, RS, e que viveu no período Triássico, há 220 milhões de anos atrás.

No Nordeste do Brasil apresentam grande significado as descobertas e pesquisas relacionadas ao litoral do período Cretáceo, apresentando grandes quantidades de peixes, conchas e répteis alados (mais conhecidos como “Pterossauros”), como o Tapejara imperator, de 5m de envergadura.

Já a região mais central apresenta uma enorme gama de fósseis correspondentes aos períodos em que grande parte do território brasileiro se encontrava como o leito marinho, apresentando Trilobites (foto), restos de peixes, crustáceos e outros espécimes da fauna e flora daquela época e que foram preservados devido à deposição de sedimentos provenientes dos avanços e regressões marinhas entre os períodos Cambriano e Permiano.

Os sedimentos Jurássicos não são significativos, já que ainda está em discussão a datação de prováveis locais de afloramento deste período, e que são considerados afossilíferos. Os afloramentos Triássicos mais significativos estão situados na parte mais sul do Brasil, estado do Rio Grande do Sul, principalmente, com exemplares fósseis bastante numerosos e diversificados, como Tecodontes, Cinodontes, Dicinodontes, Rincossauros, Dinossauros (o exemplar Staurikosaurus pricei) e muitas outras espécies, incluindo vegetais, e dentre estes, a maior reserva mundial de madeira petrificada, situada na famosa cidade de Mata, RS, sendo um importante local para estudo da fauna e flora Triássica.