A classe Ascomycetes (Ascomicetos) corresponde ao grupo de fungos mais numerosos. Caracterizam-se por apresentar o asco, uma estrutura resultante da reprodução sexuada. No interior do asco, existem os ascosporângios, onde são produzidos os esporos (ascósporos). Portanto, realizam tanto reprodução sexuada, como assexuada. No entanto, também podem realizar a metagênese ou alternância de gerações.

A maioria dos ascomicetos realiza decomposição de matéria orgânica, mas alguns podem parasitar os vegetais. É o caso do Claviceps purpurea que causa uma patologia vegetal conhecida como o “esporão do centeio”. Este fungo produz um alcalóide tóxico denominado ergotamina. Quem consumir o centeio com o fungo sofrerá uma intoxicação denominada ergotismo. Pode surgir gangrena, espasmos nervosos, ilusões psicóticas, convulsões e até mesmo a morte. A ergotamina é a matéria-prima inicial para a síntese do poderosíssimo alucinógeno conhecido como LSD ou dietilamida do ácido lisérgico.

O gênero Saccharomyces e muitas de suas variedades são utilizados na fabricação de pães, cervejas, vinhos e álcool etílico comercial. Espécies do gênero Aspergillus são usados na fabricação do sakê e do molho de soja shoyu. O Penicillium roquefortti e o Penicillium camembertii são empregados na fabricação de queijos que levam seus nomes.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • o que caracteriza os ascomicetos