Vulcões: algumas das principais erupções vulcânicas

As erupções mais importantes durante os séculos XIX e XX foram:

1815: Tambora (Indonésia)

Foi a maior erupção registrada pela História. O barulho se fez ouvir a 1.600 quilômetros de distância e os detritos lançados na atmosfera reduziram a temperatura no mundo inteiro. Dez mil pessoas morreram na hora e outras 82.000 nas semanas seguintes, de fome.

1883: Krakatoa (Indonésia)

Uma ilha inteira desapareceu com a explosão, seguida por nove ondas gigantescas (tsunamis), que devastaram 300 cidades e aldeias, causando 36.000 mortes. Em 1941, um novo vulcão se formou na antiga cratera: o Anak-Krakatoa, que em javanês quer dizer “o filho do Krakatoa”.

1902: Pelée (Martinica)

O vulcão destruiu Saint-Pierre, a capital, matando todos os seus 29.000 habitantes com exceção de dois, que sobreviveram.

1912: Katmai (Alasca)

A maior erupção do século XX quase não causou vítimas, por ter ocorrido numa região deserta. O vulcão, que tinha 2.300 metros de altura, ficou reduzido a uma caldeira no nível do chão, com 5 quilômetros de diâmetro.

1914: Sakurajima (Japão)

A quantidade de lava foi tão grande que ligou a ilha onde está situado o vulcão à parte principal do território japonês, formando uma península. Uma série de terremotos alertou para a iminente explosão. Assim, os 20.000 habitantes puderam ser retirados a tempo.

1931: Meruti (Indonésia)

Uma avalanche de lama sepultou 104 aldeias, matando 5.110 pessoas.

1951: Lamington (Nova Guiné)

A nuvem de poeira gerada pela explosão atingiu 12 quilômetros de altura, enquanto uma maré de lava devastava uma área de 230 quilômetros quadrados. Mortos: 3.000.

1977: Nyiragongo (Zaire, atual Congo)

A lava fluida ficou borbulhando na cratera durante décadas, até que, de repente, se abriu uma fissura no vulcão. A avalanche de lava provocou 1.200 mortes.

1980: Saint Helens (EUA)

A explosão já era prevista pelos sismólogos, mas ninguém imaginava que fosse tão violenta. Todo o cume da montanha desapareceu. Foram devastados 500 quilômetros quadrados de florestas, matando 500 veados, 1.500 alces e 200 ursos, além de 60 pessoas.

1982: El Chichón (México)

Três explosões sucessivas lançaram 500 milhões de toneladas de cinzas na atmosfera e provocaram 3.500 mortes.

1985: Nevado del Ruiz (Colômbia)

O calor da erupção derreteu as neves no cume do vulcão, provocando uma avalanche que matou 23.000 pessoas.

1986: Lago Nios (Camarões)

A erupção se limitou à descarga de um gás altamente venenoso, que causou 1.500 mortes.

Palavras relacionadas a este artigo:
  • Vulcão Nyiragongo Zaire